fbpx

Um Grito Multicolor

SINTONIZE-SE 2 de julho de 2019 Por Jullyan Garcia

Nunca uma Parada Pela Diversidade Sexual foi tão importante e motivo de celebração como a Parada de 2019, que comemorou 20 anos com o tema “Topo Qualquer Parada – O Medo Não Nos Cabe”.

O que é família? Gosto de pensar em compreensão, respeito e acima de tudo em amor, quando estou falando de família. Foi justamente o que eu pude conferir na 20ª Parada pela Diversidade Sexual do Ceará que aconteceu no último domingo dia 30 de junho na Avenida Beira Mar de Fortaleza.

(Foto: Carlos Marlom /Divulgação)

Uma multidão multicolorida invadiu a Beira Mar de Fortaleza para gritar por respeito e igualdade. Gays, lésbicas, bissexuais, transexuais, travestis, queer’s, simpatizantes, e muitos outros gritaram juntos e comemoram dançando com muita música eletrônica e também curtiram o show de Silvero Pereira e Mulher Barbada que levantaram o público durante a apresentação.

(Foto: Rafaela Duarte/SVM)

Eu já estive em edições anteriores da Parada e dessa vez apesar de menor – em número de trios e barulho, a parada registrou mais de um milhão de participantes segundo os organizadores e entre eles havia a família, aquela família de amigos, a família gay, a família queer, a família lésbica, até a família “tradicional” estava por lá para gritar por respeito e igualdade e não podia ser menos, estamos comemorando muitos avanços para a comunidade LGBTI+.

A Parada é um ato político, que busca direitos para a comunidade LGBTI+, e podemos comemorar que neste ano o Supremo Tribunal Federal equiparou a homofobia e a transfobia ao crime de racismo (até que o Congresso Nacional deixe de se omitir e aprove lei específica). Estamos na caminhada por um Brasil melhor e com mais respeito e amor.

Outro grande acontecimento que merece destaque, é a celebração dos 50 anos da Revolta de Stonewall, símbolo internacional dos movimentos atuais de libertação e por direitos LGBTI+. Revolta que aconteceu no bar Stonewall Inn, em Nova York, Estados Unidos no ano de 1969, em que drag queens, travestis, lésbicas e gays sofreram com a invasão arbitrária de policiais no então bar, marca o início da luta pela liberdade sexual no mundo.

(Foto: Fabiane De Paula/SVM)

Fico muito feliz com as últimas conquistas da comunidade LGBTI+, isso me faz pensar em um país muito mais feliz e com amor no coração. Vamos continuar na luta por igualdade nas artes, na cultura, na família, no amor, na vida.

Parabéns ao GRAB – Grupo de Resistência Asa Branca pelos 30 anos de apoio aos direitos humanos da comunidade LGBTI+.

Vou ficando por aqui com muita alegria no coração e sonhando com um futuro melhor. Beijos no coração de todos vocês e até mais com tudo o que acontece no Brasil e no mundo. Siga O Divulgador nas redes sociais e não deixe de me add no Instagram @jullyangarcia

Publicidade